sábado, 5 de novembro de 2016

Tenho Tantas Saudades Tuas, Porto

(escrito na República Centro-Africana, em Abril 2016)

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Estou longe, e por isso só te vejo quando fecho os olhos, e me transporto, para ti. Fui eu que pus longe, foi por minha culpa que nos afastamos, mas nem por isso deixo de morrer de saudades tuas... Saudades que asfixiam, saudades que quase me matam... Não fosse o meu orgulho e correria para ti, sem demora, e saltava todas as barreiras para te abraçar, agora mesmo e bem forte...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Se ao menos houvesse um dia, em que não acordasse a pensar em ti.... Se ao menos houvesse um dia em que não me deitasse em cima dos teus pensamentos... Se ao menos houvesse apenas, e apenas só um dia em que eu não te amasse...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Deixei-te para que te orgulhasses de mim, deixei para ficar mais forte, por ti e para ti... Deixei-te, porque faço parte de ti, e tudo faço para que essa pequenina parte se torne mais bonita e mais nobre... Deixei-te porque sei, que mesmo sem estar o teu lado, cada dia que passa te amo mais... Deixei-te, mas sou e serei sempre teu...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

O que dava para te ver mais uma vez... O que dava para que me olhasses, só mais uma vez... O que eu dava, para te sentir agora só por uns minutos... O que eu dava para caminhar ao teu lado... O que eu dava para que soubesses que te amo... O que eu dava para que me amasses... O que eu dava para que perdoasses pelo mal que te fiz... Dava tudo! Dava a minha própria vida! Dava tudo o que tenho, menos a memorias que tenho de ti, porque é o meu único pertence...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Quero tanto ver-te de todos os ângulos, quero tanto passar-te a mão, sentir-te nos dias bons e nos dias maus... Quero tanto saber como estás? No que tens pensado? De onde vens e para onde vais, Porto?... Será que ainda conheço o teu cheiro? Será que ainda tens o mesmo sorriso?.... Ai se soubesses a falta que me faz o teu humor?! Se soubesses, o quanto me ensinaste... Mesmo sem te ter, mesmo sem te ver o quanto me ensinas... Nunca desistas de mim...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Perdoa-me pelo que fiz. Perdoa-me pelo que não fiz. Perdoas? Será que chega se te disser que tudo o que fiz, foi por ti? Será que chega, se tudo o que fizer for para ti? Perdoas-me se souberes, que tudo faço para que seja melhor pessoa, é por ti e para ti... Mais não quero, que o teu orgulho! Que te honres, que eu seja teu!

Tenho tantas saudades tuas, Porto
Sofro por não te ter, sofro por não te ver, mas gosto deste sofrer, gosto de tanto gostar de ti... És o melhor que tenho, mesmo quando não te tenho... Orgulho-me de te amar, orgulho-me de tanto gostar... Gosto mais de ti, do que da minha própria vida! Tu és a minha, vida, mesmo sem te viver...

Tenho tantas saudades tuas, Porto

A tua beleza...ai se eu tivesse a arte de descrever a tua beleza. Mas talvez seja essa a arte, de só quem te conhece como eu conheço, sabe aprofundar a tua beleza... É uma descoberta... o maior tesouro que conheço... Uma história, uma personalidade, um carácter, incomparáveis e inquebráveis... Sabes bem, que tudo o que o quero é ser como tu.

Tenho tantas saudades tuas, Porto

Eu volto, se ainda me quiseres... Eu volto se me deixares amar-te... Eu volto, se me olhares nos olhos, eu volto se me deixares entregar toda a minha vida para te fazer feliz... Eu volto só para estar ao teu lado... Eu volto, só para te dizer mais uma vez, que és tudo o que tenho... Eu volto porque quero te dizer, que TE AMO.


Se eu te voltar a ver, abraça-me com muita força e não digas nada...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo