sábado, 21 de novembro de 2015

Indios e Cowboys

Indios e Cowboys.

Foi assim que eu cresci a ver filmes de Indios e Cowboys...E demorei algum tempo a perceber quem eram realmente os "bons" e os "maus"! 

Acompanhei desde muito cedo, a formação deste Estado Islâmico, ISIS, ISIL, Daesh, ou Dawla (Estado em árabe), curiosamente o nome que os Sírios mais frequentemente lhe atribuiam, no local onde eu estive. Poucos ou ninguém ao meu redor, sentiram o terror, que os elementos do EI, são capazes de causar. Fui dos poucos, que não fiquei surpreendido pelos decapitações publicitadas no youtube, no início de 2014, pois já sabia do que eram capazes, e sabia também do seu grande negócio de raptos e resgates, q até então os ocidentais, fingiam e bem, que nada sabiam sobre o terror que alguns dos seus conterrâneos, quase todos jornalistas e humanitários, estavam a passar. Ao entrar na Síria, num dia que jamais me esquecerei, a presença das bandeiras pretas, barbas islâmicas, metralhadoras montadas em 4x4, e um ar profundamente ameaçador, fez-me sentir medo como nunca antes... Mas como quase tudo que absorvi na Síria, foi em discurso directo com o povo, que me apercebi da terrível fase que a já horrenda guerra cívil, estava a passar... O povo tremia de medo, quase com medo de pronunciar a palavra.... Dawla... que eu no início nem sabia do que se tratava, pois o seu merchandising ainda estava a ser criado nos media do ocidente... A pressão do radicalismo, foi de uma intensidade e velocidade gritante.... As pessoas tinham medo de falar, medo de rir, proibidos de beber, e até de fumar....mulheres obrigadas a taparem-se na totalidade, e tudo sustentado numa formatação ideológica imposta à força sustentada na ameaça e coação....interpretação essa do Islão que em nada coincidia com os pilares basilares daquele povo... A minha enorme antipatia por este grupo, crescia em paralelo com a enorme admiração pelo povo Sírio, pelo seu amor à pátria, pela sua resiliência, e firmeza nas convicções....contra os actos tenebrosos do seu sanguinário ditador Bashar Al-Assad e a agora (ainda) maior ameaça do EI... Tive o desprazer de várias vezes me cruzar com elementos do EI, e testemunhei a destruição psicológica que causavam naquele povo, e como se não fosse suficiente sofri imensamente aquando do rapto dos meus 5 companheiros e amigos.... Sofri mais com as bombas do Assad, mas logo percebi q o EI, seria uma muito maior ameaça!


Penso que a cabeça da maioria dividir-se-á, entre dois extremos:
1) Tratamento cirúrgico: Vamos matá-los a todos.
2) Tratamento médico: Compreender a doença e tentar antagonizar os mecanismos que lhes dão força.


1) Certamente o mais rápido e tentadoramente mais fácil, exequível no decorrer das nossas vidas. Mas só os mais desatentos nas aulas não percebem que é impossível. Que o ódio e a violência só metastiza em mais ódio e mais violência. Inviável!

2) Requer mais estudo, mais trabalho e mais tempo....mas é a única solução e que teremos que ter a força para compreender que mesmo no rumo certo, já não seremos nós e tb talvez não os nossos filhos a ver o sucesso da diplomacia.

Dissecando o ponto 2). Vejo com mais clareza o que não fazer, do que o que fazer. Certamente, relembrando os mais desatentos, não queremos mais Afeganistão e Iraque. A guerra do Afegnistão "celebra" agora 14 anos, e cada vez está pior.... A guerra do Iraque, motivou de uma forma directa e óbvia o aparecimento do EI.

Que ideologia sustenta o EI, e de onde vem o seu dinheiro? Islão Sunita, fundamentalmente Arabia Saudita e os demais da península arábica... E o dinheiro vem da hipocrisia de todos nós, que somos Charlie e Paris....mas continuamos a ser coniventes com os interesses de quem os patrocina...e como se não chegasse, a tentação do negócio das armas é mais forte, mesmo para vender a quem nos quer matar.... Moral Ideológica? Dos USA?: só se for para rir! Da Rússia?: que com a desculpa q ataca o EI, nem disfarça ao atacar o Free Syrian Army, ou qq outro inimigo do seu aliado Assad. Da França?: que decidiu isoladamente bombardear a Líbia....porquê?? porque lhes apeteceu, no seu jogo geo-estratégico de dinheiro e poder.....e agora também a Líbia grande vítima do crescente poder do EI.... HIPÓCRITAS!


Onde é que estás a moral ideológica dos ocidentais? Não existe! Terroristas, mas num uniforme mais bonito!

Quem são os Indios e quem são os Cowboys? Quem são os bons e os maus?

Nem por um segundo ponderei em ser Charlie, ou em acrescentar a bandeira da França à minha foto ( com todo o respeito e até compreensão por quem o fez), mas doeu-me a alma profundamente por ver mais estas 130 vítimas, que acrescem às quase 300.000 na Síria, aos 4 milhões de refugiados, e ainda 8 milhões de deslocados internos Sírios, poupando tantas histórias de tantos países....e por isso, não há dia que passe que não pense:

O QUE É QUE EU POSSO FAZER?

1) Não ser manipulado por quem me conta a história
2) Tolerar as diferenças
3) Mandar ajuda e não bombas
4) Escolher sempre o Amor em vez do Ódio
5) Centrar-me que a minha casa é o Mundo.
6) A minha família é a Humanidade
7) E nunca, mas nunca me deixar levar pela indiferença.
8) Aprender a perdoar...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo